quarta-feira, 6 de abril de 2011

O Galeão era o Padre Eterno

A demanda, segurança, abundância de madeiras nobres, mão-de-obra e tecnologias do Reino, incrementaram a construção naval na Baía de Guanabara. Em 1665, Salvador Correa de Sá e Benevides mandou construir, em estaleiros na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, o 'Padre Eterno', maior galeão daqueles tempos. Com 53 metros de comprimento e capaz de deslocar 2000 toneladas em plena carga, o Padre Eterno foi lançado à água em 1663. O galeão estava artilhado com 144 bocas de fogo distribuídas por duas cobertas. Durante a sua primeira viagem à Lisboa, ocorrida em 1665, o Padre Eterno suscitou assombro da gente daquela cidade. Sabe-se apenas que a embarcação perdeu-se no oceano Índico. Foi devido ao Galeão Padre Eterno que o local onde ele foi construído ficou conhecido como Galeão, na ilha que, desde 1567, é do Governador, e desde 1960, minha também.


Gravura do galeão Padre Eterno
Foto: Blog Alernavios

3 comentários:

  1. Muito bom Lili, gostei dessa. bjos
    Sebastião

    ResponderExcluir
  2. Gostei, voltarei sempre que puder. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela visita, Vagner. Espero que goste do que vir, sempre que voltar.

    Abraços,
    Eliane Bonotto

    ResponderExcluir

Tô só de olho em você...
Já ia sair de fininho sem deixar um comentário, né?!
Eu gosto de saber sua opinião sobre o que escrevo.
Não tem de ser só elogio... Quero sua opinião de verdade!